Venda de ações da Eletrobras deve ser concluída até dezembro

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, disse na quinta (8) que a oferta pública de capital da Eletrobrás deve acontecer até dezembro. A afirmação foi feita durante o evento Oportunidades de Investimento no Brasil, em Nova York.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

“As discussões estão evoluindo muito rápido, provavelmente na semana que vem vamos ter a instalação da comissão para discutir a lei e o ato final é esperado para acontecer em dezembro, é quando o IPO [da sigla em inglês para Oferta Pública de Capital] vai ser lançado no mercado”, disse o ministro ao se referir às discussões sobre a privatização da Eletrobras no Congresso.

Nesta terça-feira (6), o Congresso Nacional instalou a comissão mista destinada a analisar a medida provisória que retira da legislação atual a proibição de privatizar a estatal e suas subsidiárias. A MP foi editada no fim do ano passado pelo presidente Michel Temer e trata de alterações no setor elétrico, como a expansão da oferta e a universalização dos serviços de energia elétrica.

A proposta revoga artigo da Lei 10.848/2004, que trata da comercialização de energia, que excluía a Eletrobras e suas controladas – Furnas, Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), Eletronorte, Eletrosul e a Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE) – do Programa Nacional de Desestatização.

Essa é a terceira medida provisória editada pelo presidente Temer para abrir caminho para a venda da Eletrobras. “O intuito da revogação é permitir, com plena segurança, que sejam contratados e iniciados os estudos da situação econômica e financeira da Eletrobras, garantindo substancial ganho no cronograma da operação, com vistas a concluí-la no ano de 2018”, argumentou o governo quando editou a MP.

Evento em NY
Participaram do evento investidores de diferentes setores, como transportes, mineração e energia. Entre os grupos de investidores presentes estavam representantes da JP Morgan, Goldman Sachs, Morgan Stanley, além de empresas como a Uber.

Também participaram do evento os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, do Planejamento, Dyogo Oliveira, dos Transportes, Maurício Quintella, e de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE