Inaugurado no Nordeste o primeiro centro de combate ao crime organizado do país

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, participou ontem (7), em Fortaleza, da inauguração do primeiro Centro Regional de Inteligência de Segurança Pública do Brasil. O equipamento está instalado em um prédio cedido pelo governo do estado e teve investimento total de R$ 15 milhões.

A escolha do Ceará para sediar o centro foi uma deliberação dos governadores do Nordeste em encontro realizado em março em Teresina e se deve aos investimentos e aos trabalhos de inteligência das forças de segurança locais no combate ao crime organizado.

Ao todo, são previstos cinco centros regionais de inteligência, que contarão com representações policiais dos estados; das polícias Federal e Rodoviária Federal (PRF); da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). As unidades serão interligadas ao Centro Nacional Integrado de Inteligência, Comando e Controle, que ficará em Brasília.

Agentes do FBI
De acordo com o governador do Ceará, Camilo Santana, o centro regional do Nordeste já está em funcionamento e os representantes dos órgãos de segurança estão passando por capacitação, inclusive um curso ministrado por agentes do FBI, a polícia federal norte-americana. O local tem capacidade para receber 80 profissionais.

Segundo o ministro Raul Jungmann, a criação e atuação dos centros é uma resposta aos desafios atuais da segurança pública. “Neste mundo, temos a guerra cibernética, as redes sociais, a deep web. O crime está nessas redes e está integrado e internacionalizado. Não há a menor possibilidade de se combater esse crime e reduzir outras formas de criminalidade se não tivermos inteligência, e inteligência integrada.”

Mortes no Ceará
Presente ao evento, o secretário da Segurança André Costa falou sobre o tiroteio que matou 12 pessoas no município de Milagres, no sul do Ceará, hoje de madrugada. Segundo ele, o grupo que tentou atacar as agências bancárias da cidade tem atuação interestadual, sobretudo na região Nordeste. Uma equipe especializada da Polícia Militar, em conjunto com forças policiais de Pernambuco, já estava na região fazendo diligências em busca de criminosos que fazem ataques para roubar instituições financeiras.

Costa disse confiar no trabalho das polícias e afirmou que o caso de Milagres reforça a necessidade do centro regional de inteligência. “A instalação do centro vai permitir que tenhamos informações em tempo real que venham das inteligências dos nove estados do Nordeste. Serão 38 sistemas de dados”, informou. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE