Cuba estabelece roteiro sustentável para o desenvolvimento

Um roteiro para implementar um ambicioso conjunto de reformas econômicas, sociais e políticas foi desenhado em Cuba, depois que a Assembleia Nacional aprovou recentemente três documentos que orientam o curso para o desenvolvimento futuro do país. A informação é da agência Xinhua.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O Parlamento cubano analisou, na semana passada, em duas sessões extraordinárias, o progresso das reformas iniciado em 2010 pelo presidente Raul Castro em um documento intitulado “Diretrizes das Políticas Econômicas e Sociais da Revolução,” que é a plataforma para implementar mudanças na ilha.

O Parlamento também aprovou o plano de desenvolvimento da nação até 2030, bem como a “conceitualização” do modelo, um documento que estabelece a base teórica para Cuba nos próximos anos. Um dos temas aprovados é o quadro jurídico do primeiro reconhecimento oficial de empresas privadas e pequenas e médias empresas.

Embora possa levar meses ou anos antes de quaisquer mudanças reais serem sentidas localmente, é a primeira vez desde 1959 que o setor privado será tratado da mesma forma que as empresas estatais.

Roteiro a seguir
“Não estamos correndo para uma economia de livre mercado, nem o nosso governo nos leva até lá. Este é um processo gradual de transformações, diversificação econômica e desenvolvimento de um setor privado nacionalista,” disse Rafael Hernandez, analista político cubano.

Segundo ele, a aprovação desses documentos pela Assembleia Nacional é um sinal de que reformas econômicas e sociais profundas estão chegando. “A atualização de nosso modelo político, social e econômico é uma das tarefas mais difíceis que o país enfrentou nos últimos 20 anos, após o colapso da União Soviética. Esses documentos representam o guia, o roteiro a seguir,” afirmou.

O Parlamento cubano reafirmou o sistema político de um partido e a proeminência estatal da economia socialista e dos setores importantes, apesar da abertura a pequenas empresas privadas e investimentos estrangeiros. Entre os temas mais discutidos estavam a concentração de propriedade e a riqueza privada, questões que provocaram um profundo debate entre os legisladores.

Também aprovadas nas diretrizes econômicas e sociais, estão as questões relacionadas ao papel do investimento estrangeiro direto, a introdução de tecnologia avançada e know-how e a melhoria dos órgãos governamentais locais.

Hernandez disse que a liderança do país está ciente da importância de implementar reformas fundamentais, como pôr fim ao sistema de dupla moeda do país, aumentar a produtividade, eficiência e salários no setor estadual.

“O povo cubano tem expectativas muito altas após a aprovação dos documentos na semana passada e já existe uma experiência com as reformas em andamento,” afirmou o analista político. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!