Fundação Clóvis Salgado renova parceria com o Museu de Congonhas para ampliar o acesso às artes visuais

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Roberto Burle Marx – Sem Titulo © Calebe Souza

A Fundação Clóvis Salgado (FCS) renovou parceria com o Museu de Congonhas para promover a itinerância de seu acervo também no Território Vertentes. A estratégia é mais uma iniciativa para democratizar o acesso às artes visuais e, junto a novos públicos, difundir, por meio da exposição “Grandes Nomes – Acervo FCS”, trabalhos e criações de artistas como Amilcar de Castro, Beatriz Milhazes, Burle Marx, Fayga Ostrower, Franz Krajcberg, Lótus Lobo e Marcelo Grassman.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Os interessados podem visitar a exposição “Grandes Nomes – Acervo FCS” no Museu de Congonhas, desde quinta-feira (6/4), de terça-feira a domingo, das 9h às 17h. O valor da entrada é de R$ 10. Às quarta-feiras, especificamente, a entrada é gratuita das 13h às 21h. A classificação é livre e o período expositivo vai até o dia 30 de julho.

Itinerância de Artes Visuais
A iniciativa de levar o acervo ao Museu de Congonhas é parte do projeto Itinerância de Artes Visuais (FCS), por meio do qual a Fundação Clóvis Salgado busca ampliar a interlocução cultural com os Territórios de Desenvolvimento de Minas Gerais, além de garantir que diferentes municípios tenham acesso às atividades culturais que, muitas vezes, ficam restritas ao público que frequenta o Palácio das Artes, na capital.

“Queremos levar nosso trabalho para fora do Palácio das Artes, mostrar o que a FCS tem realizado em Belo Horizonte e garantir que o interior também tenha acesso a essas produções”, afirma o presidente da Fundação Clóvis Salgado, Augusto Nunes-Filho.

Para o presidente da Fundação Municipal de Cultura, Lazer e Turismo de Congonhas, Sérgio Rodrigo Reis, a renovação dessa parceria demonstra a sensibilidade da FCS para alcançar e formar novos públicos. Em 2016, quando o projeto de itinerância teve início com a exposição ‘Recorte: Acervo da Fundação Clóvis Salgado’, entre junho e agosto, o Museu de Congonhas registrou público recorde de 35 mil pessoas.

“As itinerâncias pelo interior de Minas Gerais consolidam uma política pública de democratização das artes e que tem sido muito eficaz nas cidades fora da capital. Termos atingido um público recorde, logo na primeira exposição itinerante, confirma a força do interior e, ao mesmo tempo, demonstra a carência que essas cidades têm por atrações culturais e artísticas”, destaca Sérgio Rodrigo.

A exposição “Grandes Nomes – Acervo FCS” também conta, desde o início do ano, com o espaço PQNA Galeria. Trata-se do quinto espaço de artes visuais à disposição do público no complexo cultural do Palácio das Artes.

Serviço:
Exposição Grandes Nomes – Acervo FCS / Museu de Congonhas
Período expositivo: até 30 de julho de 2017
Investimento:
> R$ 10 (inteira), de terça a domingo, de 9h às 17h
> Entrada gratuita, às quartas-feiras, de 13h às 21h
Local: Museu de Congonhas
(Endereço: Alameda Cidade Matozinhos de Portugal, 77 – Basílica – Congonhas/MG)
Classificação livre

Outras informações:
Assessoria de Imprensa da Fundação Clóvis Salgado – (31) 3236-7378. Com Agência Minas

PUBLICIDADE
Don`t copy text!