Líder espiritual é indiciado por estupros e aborto em Divinópolis

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Um homem de 53 anos que atuava como pai de santo no município de Divinópolis foi preso preventivamente por estupro, nesta segunda-feira (8). O mandado judicial foi cumprido no âmbito da operação Resguardo, considerada a maior ação de combate a crimes de violência contra a mulher no Brasil, que teve participação da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG). O trabalho investigativo identificou, até o momento, cinco mulheres vítimas, com idades entre 28 e 56 anos.

As investigações tiveram início em março de 2020, quando a PCMG recebeu uma denúncia de que um líder espiritual teria praticado diversos abusos sexuais contra várias mulheres e adolescentes. Conforme apurado, durante as sessões, o pai de santo se valia da sua posição de sacerdote espiritual para abusar das vítimas, que o procuravam buscando auxílio para cura de doenças físicas e emocionais.

Segundo relato das vítimas, o líder espiritual ministrava chás e sabonetes de ervas com a promessa de cura. O homem então começava a acariciar o corpo delas, sob o argumento de estar fazendo o ato em nome de espíritos”, informa a delegada que preside o inquérito, Maria Gorete Rios, ao revelar a existência de fortes indícios de que o investigado teria praticado aborto em uma das vítimas sem o consentimento dela e, em outra circunstância, transmitido DST a outra, à época, adolescente.

Algumas vítimas ainda relataram ter sofrido ameaças por parte do suspeito, quando decidiam parar de frequentar o centro e o denunciar. A partir das apurações, a PCMG reuniu as provas e representou pelo mandado de prisão preventiva do suspeito, que foi detido quando saía da residência dele, no bairro Floresta. O investigado, que nega os crimes, foi encaminhado ao sistema prisional, onde se encontra à disposição da Justiça.

Ao todo, três inquéritos foram concluídos e remetidos à Justiça, com indiciamento do investigado pelos crimes de estupro e aborto. Além disso, um quarto inquérito está em andamento e apura a paternidade do filho de uma das vítimas, o qual supostamente seria do investigado. Com informações da PCMG

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!