Brasileiros nos EUA votam a favor de mudanças

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Foto: Leandra Felipe/Agência Brasil

Os 19 colégios eleitorais nos Estados Unidos estão em votação desde às 8h, dependendo do horário local, que pode ser de uma a quatro horas do fuso horário brasileiro.

Na maioria dos centros de votação há filas, mas a votação transcorre sem problemas, segundo autoridades consulares. A Agência Brasil conversou com eleitores que votam em Atlanta, Georgia, centro de votação com 10,6 mil eleitores. A maoria diz que espera que o país melhore e que não ocorram retrocessos.

O casal Regis e Marcele Farias vota pela primeira vez no exterior este ano. Eles estão em Atlanta há quatro anos. “O que queremos é que o Brasil mude, que a corrução deixe de ser um problema que nos impeça de crescer”, afirmaram enquanto esperavam na fila para votar.

A analista de marketing Edna do Nascimento Silva, também vota pela primeira vez no exterior. “Espero que os candidatos eleitos realmente cumpram as promessas que feitas. O Brasil precisa sair dessa situação onde só acontece retrocesso”, disse Edna, que está no país desde 2015, vinda de Taubaté (SP).

Juliana Martins, de Minas Gerais, vota há 10 anos no exterior. Ela reclamou da fila. Estou esperando há uma hora para votar. Deve ser porque aumentou a quantidade de brasileiros aqui.

Caravana

Alguns eleitores brasileiros foram em caravana para votar em outros estados. O colégio eleitoral do Consulado Geral do Brasil em Atlanta engloba quatro estados: Georgia, Alabama, Carolina do Sul e Tennessee.

A analista de produção Raissa Labotka, que está grávida de 35 semana, saiu de Clarskville, no Tennesse, para votar em Atlanta. “Viajei cinco horas para chegar, mas valeu a pena. Mesmo não estando no Brasil, votar é importante para mim. O Brasil sempre será meu país.”

Desde ontem (6), eleitores usam redes sociais para combinar horários e dividir caronas para ir ao consulado de Atlanta. Pelo grupo de brasileiros na região, alguns combinam pontos de encontro para dividir Uber e ir até o local de votação. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE