Projeto em Fortuna de Minas incentiva participação de produtores na recuperação de sub-bacia do rio São Francisco

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Ter água em quantidade e de boa qualidade é uma preocupação atual em muitos municípios brasileiros. Em Fortuna de Minas, na região Central do estado, desde 2018 este tem sido o foco de um grande trabalho de revitalização da sub-bacia do Córrego de Areia. A iniciativa da Emater-MG, vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), foi uma das ações que levaram a empresa ao primeiro lugar, na categoria Destaque Estadual, do 11º Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade e Amor à Natureza, de referência nacional, anunciado em cerimônia virtual em 28 de janeiro.

O projeto de revitalização foi viabilizado por meio de um convênio entre a Emater-MG, Seapa e Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), no valor aproximado de R$ 587 mil. A iniciativa integra o Projeto Recuperação e Preservação de Sub-bacias Hidrográficas Formadoras dos Afluentes Mineiros do Rio São Francisco, desenvolvido pela empresa de extensão rural em vários municípios do Estado desde 2001. O objetivo do projeto em Fortuna de Minas é aumentar a disponibilidade e a qualidade das águas da sub-bacia hidrográfica e, indiretamente, da própria bacia do Rio São Francisco.

O trabalho começou com uma reunião com produtores rurais da bacia do Córrego de Areia e autoridades locais. De acordo com o extensionista local da Emater-MG Paulo César Martins, a intenção era estimular a participação dos agricultores nos processos de mobilização e gestão ambiental. “A adesão inicial foi muito boa. Houve um interesse muito grande dos produtores, totalizando 100% das propriedades envolvidas ali. Além de disponibilizar as propriedades para realizarmos as intervenções, alguns produtores doaram cascalho e resíduo de areia para a readequação das estradas vicinais. A Associação de Córrego de Areia emprestou trator e implementos, assim como a prefeitura que disponibilizou máquinas e funcionários para as obras”, conta Martins.

As intervenções feitas incluem práticas de conservação de solo e água, como a construção de bacias de captação de enxurradas, de terraços e a adequação ambiental de trechos de estradas vicinais. No total, foram feitas 1.391 bacias de captação, 78,47 quilômetros de terraços implantados, 6,48 quilômetros de trechos de estradas vicinais adequados ambientalmente, sendo 69 produtores diretamente beneficiados com o projeto.

As ações ajudam no melhor aproveitamento das chuvas, na redução do escoamento superficial, evitando a erosão e o assoreamento dos corpos d’água, além de propiciar um aumento da infiltração da água no solo e da vazão de nascentes e demais cursos d ‘água. “São menos de três anos de projetos, então é difícil quantificar o aumento das águas. Mas a maior percepção no momento é a melhoria das pastagens. É nítido como o pasto melhorou abaixo das barraginhas. Mas nós consideramos como o principal ganho a diminuição de água de chuva escoando para os córregos, ou seja, diminuiu as enchentes, a erosão e as estradas rurais se mantém mais conservadas sem as enxurradas”, comenta o extensionista.

Impacto social e ambiental
Objetivando a educação ambiental da população e o engajamento dos agricultores, foram produzidos: um vídeo técnico sobre a recuperação da bacia do Rio São Francisco; uma cartilha sobre conservação e manejo de água; um folder sobre bacias de captação de enxurradas e outro sobre terraceamento; além de cartazes e outros materiais técnicos/educativos utilizados em reuniões, palestras e demais eventos.

O Projeto de Revitalização da Sub-bacia do Córrego de Areia contribuiu não só para a conservação e revitalização dos recursos naturais existentes nos imóveis rurais, mas, também, para a melhoria da vazão do Córrego de Areia. Segundo o técnico da Emater-MG, atualmente, há uma participação efetiva da população e dos produtores rurais na gestão dos recursos naturais. “Além disso, no município de Fortuna de Minas, os trechos das estradas vicinais adequadas ambientalmente pelo projeto estão servindo de referência para a prefeitura municipal para a adequação de outras estradas do município”, complementa Martins.

As estruturas de conservação do solo e água implantadas pelo Projeto de Revitalização da Sub-bacia do Córrego de Areia são mantidas por meio de manutenções periódicas, realizadas pelos próprios produtores rurais beneficiários com o apoio da prefeitura de Fortuna de Minas, que cede funcionários, máquinas e equipamentos para os serviços de manutenção necessários. Com informações da Assessoria de Comunicação da Emater-MG

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!