Pesquisa mostra que 55% dos países não conseguem analisar qualidade do solo

Neste domingo, 5 de dezembro, é celebrado o Dia Mundial do Solo, com a ONU destacando como a salinização está ameaçando a segurança alimentar.

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), lembra que “os solos são a base da agricultura e que os produtores dependem deles para produzir 95% dos alimentos que consumimos”.

Enorme ameaça
Mas Qu Dongyu alerta: “os solos estão sob risco”. Segundo a FAO, o sal já está afetando 833 milhões de hectares de solos no mundo todo e 10% das terras de cultivo, ameaçando o combate à insegurança alimentar.

Solos com grande presença de sais solúveis tornam difícil a capacidade de absorção de água pelas plantas e outros tipos de cultivo. O sal também torna a terra extremamente seca e compacta, além de muito pegajosa se estiver molhada.

A agência da ONU também fez uma pesquisa revelando que 55% dos países analisados não têm capacidade para avaliar a qualidade dos seus solos, sendo que muitas nações da África e Ásia nem conseguem atingir metas nacionais.

Plásticos também são problema
Segundo a FAO, coletar e analisar dados em laboratório é essencial para gerir solos afetados e para facilitar a transição para a agricultura digital. As áreas danificadas precisam de irrigação e drenagens adequadas.

Outro problema que afeta a produção agrícola é o uso de plástico, sendo que este material nos solos apresenta um perigo aos seres humanos e aos ecossistemas. Microplásticos que foram desintegrados podem conter pesticidas e entrar na cadeia alimentar, causando danos à saúde. Com ONU News

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!