Audiência discutirá edital para 7,1 mil km de linhas de transmissão

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem (4) a realização de audiência pública para debater o edital do leilão de contratação de 7.186 quilômetros (km) de linhas de transmissão e subestações com 15.519 megavolt-amperes (MVA). O certame, previsto para 20 de dezembro deste ano, vai ofertar 18 lotes de concessões com 66 empreendimentos, sendo 43 linhas de transmissão e 23 subestações.

No total, o investimento previsto é de R$ 13,5 bilhões, com obras contratadas em 12 estados, a partir de 2019. A previsão é de novas instalações de transmissão nos estados do Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins. Os prazos de conclusão das obras variam de 42 a 66 meses.

A diretoria da Aneel homologou ainda o resultado do leilão de transmissão A-1, realizado no final de junho na B3, em São Paulo. O certame foi destinado à construção, operação e manutenção de instalações de transmissão do Sistema Interligado Nacional (SIN).

O leilão apresentou deságio médio de 55,26% ao preço inicial ofertado, resultando no arremate de 2.562 km de linhas de transmissão e de subestações com 12.226 MVA de potência. A previsão é de que sejam realizados investimentos da ordem de R$ 6 bilhões para reforçar a rede básica do SIN.

No total, são 20 lotes com empreendimentos de transmissão, nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Na última sexta-feira (31), outro leilão, mas para a contratação de empreendimentos de geração de energia A-6, terminou com a contratação de 168.033.684/MWh de energia. O certame, realizado após a Advocacia-Geral da União (AGU) ter derrubado uma liminar suspendendo sua realização, conseguiu um deságio de 46,89% em relação aos preços tetos estabelecidos, com o preço final da energia contratada girando em R$ 140,87 por MWh.

De acordo com a Aneel, o leilão resultou em uma economia de R$ 20,9 bilhões para os consumidores de energia. As usinas deverão iniciar o fornecimento de energia elétrica a partir de 1º de janeiro de 2024.

Foram contratados 62 empreendimentos de geração, sendo 11 hidrelétricas (78,7 MW médios), 48 usinas eólicas (420,1 MW médios), duas usinas térmicas movidas a biomassa (9,8 MW médios) e uma térmica a gás natural (326,4 MW médios), o que soma 835 MW médios de energia contratada.

Os estados com os empreendimentos contratados foram Rio Grande do Norte (27 usinas), Bahia (21 usinas), Paraná (cinco usinas), São Paulo (duas usinas), Minas Gerais (duas usinas), além de Goiás, Mato Grosso, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Maranhão com uma usina em cada estado. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE