Para CPI da ALMG, troca de e-mails expõe negligência da Vale em Brumadinho

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O diretor de Planejamento, afastado, da mineradora Vale, Lúcio Flavo Gallon Cavalli, afirmou que a troca de e-mails entre técnicos da empresa sobre segurança da barragem B1 da Mina Córrego do Feijão, que se rompeu em 25 de janeiro, tinha como motivação a estratégia de lavrar e reaproveitar os rejeitos. O executivo foi ouvido na quinta-feira (4), na condição de investigado, pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Barragem de Brumadinho, da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O rompimento matou ao menos 247 pessoas. Outras 23 estão desaparecidas.

Na opinião do relator da CPI, deputado André Quintão (PT), a informação deixa claro o interesse estritamente econômico da empresa e a negligência com as vidas ameaçadas pela estrutura. “O que a Vale estava tentando fazer não era para aumentar o fator de segurança, era para remineração”, declarou o parlamentar.

Por outro lado, André Quintão afirmou que existem elementos comprobatórios de que a preocupação era também com indícios de instabilidade da barragem. A conversa dos funcionários da Vale foi registrada em outubro do ano passado, após o Painel de Especialistas para o Gerenciamento de Segurança e Risco de Estruturas Geotécnicas (Piesem), que apresentou algumas recomendações de monitoramento da estrutura.

Ricardo Barbosa/ALMG

As mensagens, segundo o deputado, reportavam a necessidade de fiscalização de campo para definir medidas de reforço de segurança, “a fim de reduzir o risco atual”. Ele lembrou que o licenciamento para o descomissionamento (esvaziamento) da barragem só foi concedido em 11 de dezembro e questionou a preocupação com uma situação que, então, era hipotética.

Essa motivação, para André Quintão, agrava a percepção de negligência da Vale. “Então não era porque as leituras dos radares ou as recomendações da Tüv Süd (auditora que atestou a estabilidade) mostraram anomalias, ou seja, são só questões econômicas”, provocou. Cavalli não respondeu ao questionamento. Com ALMG

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!