OIT pede mais apoio para educadores depois de pandemia

É urgente investir na educação e na formação e no trabalho digno dos profissionais da educação para que possam contribuir para a recuperação após a pandemia.

Essa foi a conclusão de uma reunião da Organização Internacional do Trabalho (OIT) sobre o futuro para os profissionais na área da educação.

Responsabilidades
Segundo a OIT, professores, formadores e pessoal de apoio precisarão dominar novas tecnologias e técnicas, entender as demandas e habilidades do mercado de trabalho e serem apoiados para lidar com suas maiores responsabilidades.

O embaixador de Barbados junto à ONU, Chad Blackman, presidiu o encontro, com governos, organizações de empregadores e de trabalhadores de todo o mundo. Segundo ele, “o futuro exigirá investimento em educação e habilidades e são precisos professores e trabalhadores motivados e bem apoiados para que possam preparar os alunos para a vida e o trabalho.”

Mudanças
A pandemia mostrou a rapidez das mudanças em particular o grande uso de tecnologia.

Essas transformações, além de funções e responsabilidades adicionais, estão revolucionando o trabalho de professores, administradores e pessoal de apoio à educação.

Outro desafio é conectar a educação às necessidades dos empregadores e investir em formação e treinamento técnico-profissionalizante.

O vice-presidente de uma associação de empregadores, Santiago García Gutiérrez, contou que “garantir que os sistemas de educação e treinamento atendam às necessidades do mercado de trabalho é uma das principais prioridades.”

Experiência
Para ele, “há uma necessidade urgente de conectar o setor privado à educação e treinamento, de modo a fornecer recursos e experiência, e equipar os alunos com as habilidades exigidas pelos empregadores.”

Os participantes também destacaram a importância do diálogo social para enfrentar os desafios que afetam as condições de trabalho dos educadores.

O especialista Jelmer Evers disse que este diálogo pode ajudar em áreas como estabilidade no emprego, salários adequados, bem-estar, gestão da carga de trabalho, políticas educacionais e autonomia profissional.

Privacidade
Evers destacou ainda negociação coletiva sobre o uso de inteligência artificial, proteção de dados e privacidade, dizendo que essas discussões serão importantes para garantir que os educadores tenham voz nesses temas que moldarão o futuro.

No final do encontro, foram adotadas conclusões pedindo a governos, empregadores e trabalhadores mais investimento em educação e treinamento para os profissionais desta área.

A reunião também sublinhou o papel do setor privado na oferta de educação de qualidade.

Para a embaixadora da Etiópia, Mahlet Hailu Guadey, a adoção destas conclusões é muito importante. Segundo ela, “professores e pessoal da educação são o elemento chave em sistemas de educação de qualidade.” Com ONU News

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!