Estudo traça sentimentos e percepções do professor brasileiro durante o isolamento

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Em um cenário de rápida transformação e alta incerteza, no qual mais de 48 milhões de alunos da rede básica brasileira tiveram as suas rotinas alteradas em função da pandemia do Covid-19, o Instituto Península se propôs a entender a percepção e sentimentos dos protagonistas da educação: os professores. A pesquisa “Sentimento e percepção dos professores brasileiros nos diferentes estágios do coronavírus no Brasil” ouviu 2,4 mil de docentes da Educação Básica em todo o Brasil, de maneira online, abordando pontos para levantar como os educadores estão se cuidando, se organizando e quais são os seus medos, anseios e demandas de apoio.

O primeiro resultado aponta que eles estão preocupados com a própria saúde e de seus familiares, mas que também estão estudando, se mantendo culturalmente ativos e buscam conteúdos e informações de cursos. Mais de 90% dos respondentes demonstraram estar muito ou totalmente preocupados com a situação atual e já é possível notar efeitos na saúde mental deles, afirmando que o suporte e apoio psicológico seriam fundamentais.

Em termos de papéis e responsabilidades, 66% dos professores acreditam que são responsáveis por disseminar informações seguras para os seus grupos mais próximos. O levantamento aponta ainda que, para 75%, há o anseio por receber informações, cursos e aprimoramentos profissionais de forma coordenada e assertiva, mas com menor frequência, para que possam se preparar melhor para as novas rotinas de aulas online, por exemplo. No momento inicial da crise, mesmo com 70% declararem estar mais preocupados em organizar suas rotinas familiares, os professores seguem ativos: 60% dos docentes têm estudado e 53% têm mantido atividades culturais no isolamento.

“Nesse momento de crise, o professor tem papel ainda mais fundamental. É importante que as Secretarias de Educação os ajudem com estrutura, direcionamento claro e materiais para que os docentes possam exercer o seu ofício em um novo formato. Nós continuamos com o propósito de apoiar os professores a exercer o seu ofício com excelência e a, mesmo com tantas adversidades, manterem sua mente, corpo e emoções equilibrados.”, diz a diretora executiva do Instituto Península, Heloisa Morel.

A pesquisa “Sentimento e percepção dos professores brasileiros nos diferentes estágios do coronavírus no Brasil” pretende ouvir os profissionais da Educação constantemente até o fim da crise relacionada ao Covid-19. O método utilizado é o quantitativo, por meio de um survey online e de uma amostra por conveniência. Com respondentes de todos os estados e regiões e para extrapolar os resultados para todo o Brasil, as respostas foram ponderadas de acordo com a distribuição de professores brasileiros. Esta primeira etapa está disponível AQUI.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!