Use o 13º salário para equilibrar o orçamento

A primeira parcela do 13º salário foi depositada nas contas dos trabalhadores no dia 30/11/21. Aposentados e pensionistas já receberam as duas parcelas do ano, em virtude de o Governo Federal ter antecipado o pagamento por causa da pandemia de Covid-19. Com o dinheiro na conta, é hora de planejar a melhor forma de utilizá-lo. O Procon da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) dá algumas dicas para preservar o equilíbrio financeiro dos consumidores.

De acordo com o coordenador do órgão, Marcelo Barbosa, a primeira preocupação dos cidadãos nesse momento deve ser com o saneamento de eventuais dívidas. Devido à crise econômica, milhões de consumidores tiveram que recorrer a empréstimos nos últimos anos. Dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostram que o número de brasileiros endividados em outubro/21 chegou a 74,6% das famílias. Esse percentual é 8,1 pontos mais alto que o registrado em outubro do ano passado.

Segundo Marcelo Barbosa, é muito difícil para o consumidor equilibrar suas finanças se houver débitos em atraso. “Com o dinheiro do 13º salário, o cidadão deve fazer o maior esforço possível para se livrar das dívidas, até porque, com o dinheiro na mão, dá para negociar condições mais favoráveis de pagamento, obtendo descontos significativos”, afirma ele. Outra boa ideia é fazer a portabilidade da dívida para uma instituição financeira que ofereça juros mais baixos, lembra Barbosa.

As compras de presentes de Natal devem também ser objeto de grande atenção por parte do consumidor. Afinal, de nada adianta quitar dívidas antigas para contrair novas. Nesse caso, a orientação do coordenador do Procon Assembleia é elaborar uma lista enxuta de pessoas para quem se deseja presentear e colocar um limite no valor total dos produtos. “O Natal de muitas famílias tem sido no sistema ‘amigo oculto’, no qual há um sorteio e cada integrante ganha e oferece apenas um presente, de forma que todos são contemplados igualmente”, sugere Marcelo Barbosa. Dessa forma, ninguém se aperta financeiramente, já que o valor máximo dos presentes é combinado previamente entre os familiares.

O consumidor deve ficar atento ainda ao fato de que em janeiro chegarão os boletos do IPVA, do IPTU e das matrículas escolares. Por isso, uma parcela do 13º salário deve ser reservada para essas despesas. Depois de todos esses cuidados, se ainda sobrar algum dinheiro, a orientação é que o consumidor o mantenha em alguma aplicação financeira e só utilize em caso de emergência. “Ter uma poupança é muito importante para enfrentar situações inesperadas sem a necessidade de recorrer a empréstimos bancários”, ensina Marcelo Barbosa. Com tudo isso, fica mais fácil manter o orçamento familiar equilibrado durante todo o ano. Com informações da Assessoria de Imprensa do Procon Assembleia.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!