Athletico-PR venco nos pênaltis e vai à final da Copa do Brasil

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O Athletico Paranaense garantiu vaga na grande final da Copa do Brasil 2019 na noite desta quarta-feira (4). Depois de ser derrotado na partida de ida por 2 a 0, o Furacão repetiu o placar na Arena da Baixada e levou a disputa para os pênaltis. Na marca da cal, o goleiro Santos se tornou o herói do Furacão mais uma vez. Depois de nove cobranças certas, o camisa 1 do Athletico adivinhou o lado e defendeu o chute de Pepê.

O adversário da equipe rubro-negra na decisão será o Internacional, que eliminou o Cruzeiro. Os confrontos acontecerão nos próximos dias 11 e 18 de setembro. Os mandos de campo serão definidos em sorteio que será realizado nesta quinta-feira (5).

O jogo

Pegado, disputado, jogado. O primeiro tempo entre Athletico Paranaense e Grêmio foi a mil por hora. Precisando tirar a desvantagem de dois gols, o Furacão precisou partir para cima dos gaúchos já nos minutos iniciais. Logo aos nove, a primeira chegada com grande perigo. Rony cobrou escanteio fechado, direto para o gol. O goleiro Paulo Victor pulou atrasado, mas deu sorte de a bola sair por cima do gol.

No entanto, na segunda oportunidade, o Athletico não desperdiçou. O atacante Rony fez boa jogada pelo lado esquerdo e encontrou Bruno Guimarães na entrada da área. O volante emendou uma bomba, que explodiu no travessão. No rebote, Nikão, de primeira, estufou as redes do Tricolor Gaúcho: 1 a 0 na Arena da Baixada.

Pressionado, o Grêmio se viu obrigado a sair para o jogo. A melhor chance aconteceu aos 30 minutos, quando a bola foi levantada na área e Alisson apareceu entre os zagueiros. O atacante desviou de cabeça, mas, sem força, não deu muito trabalho ao goleiro Santos.

A volta dos vestiários foi alucinante, assim como a etapa inicial. No primeiro minuto, Léo Cittadini teve grande chance, em bola que sobrou na marca do pênalti. Mas desequilibrado, o volante bateu por cima. Dois minutos depois, o segundo do Furacão. Em mais uma boa jogada de Rony, o camisa 7 cruzou na medida para Marco Ruben. O argentino se antecipou a Pedro Geromel e desviou, matando Paulo Victor e acabando com a vantagem gremista.

Aos 14 minutos, um momento crucial para a partida. Léo Cittadini dá uma arrancada em direção ao ataque, mas é parado com uma falta violenta do zagueiro Walter Kannemann. Cartão vermelho direto, e Grêmio com um jogador a menos.

Apesar de passar a atuar quase todo atrás, o Grêmio voltou a levar perigo aos 21 minutos. Em bola levantada na área, David Braz se antecipa ao goleiro Santos e manda para o fundo das redes. O zagueiro, no entanto, estava em posição de impedimento, tendo o gol anulado. Aos 39, após jogada pela direita e chute cruzado para o meio da área, Marco Ruben apareceu colocando contra o próprio patrimônio. Mas Santos fez um milagre, salvando o Furacão.

Marcelo Cirino ainda teve chance aos 47, depois de cruzamento de Khellven. Mas a cabeçada do camisa 10 passou rente à trave, tirando o ‘uh’ da torcida rubro-negra. Com isso, a definição da vaga na final da Copa do Brasil ficou para a disputa de pênaltis.

Nas cobranças, os jogadores de ambas as equipes seguiam perfeitas até a quinta do Grêmio. O jovem Pepê foi para a bola, bateu no canto, mas o goleiro Santos saltou para o lado certo e colocou o Athletico Paranaense na final da Copa do Brasil. O Furacão vai em busca do seu primeiro título na competição. Com site da CBF

Don`t copy text!