Organização Mundial do Turismo elogia ações da Itália em tentar reativar o setor

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Uma delegação de alto nível da Organização Mundial do Turismo (OMT), foi à Itália para uma visita oficial após a reabertura das fronteiras pela Europa. Assim que foram notificados os primeiros casos de coronavírus, no início deste ano, a Itália decidiu interromper a chegada de viajantes como forma de conter a doença.

O fechamento das fronteiras, por vários meses, teve um efeito arrasador sobre o comércio e a fonte de renda de milhões de pessoas. Com a reabertura das fronteiras da Zona de Schengen, que inclui 26 países e dispensa visto entre seus cidadãos, a OMT acredita que o primeiro passo rumo à recuperação começa a ser dado.

Fonte de emprego
A visita que ocorre até este 4 de julho foi proposta pelo governo italiano. O chefe da OMT, Zurab Pololikashvili, foi recebido pelo ministro da Cultura, Patrimônio e Turismo, Dario Franceschini. Ambos conversaram sobre o turismo que é uma das maiores fontes de emprego no país.

O chefe da OMT elogiou a liderança política italiana e o compromisso em cooperar com as demais nações europeias. Ele lembrou que a agência da ONU está liderando a retomada do turismo, e que a Itália tem demonstrado seu compromisso em utilizar as viagens para alavancar a recuperação pós-Covid 19.

A agência da ONU apresentou um guia incluindo recomendações para a retomada da economia que serve a governos e ao setor privado.

Além de Roma, o chefe da OMT visitará Milão e Veneza. Essa é a primeira viagem oficial dele desde o fechamento das fronteiras por causa da pandemia. A agência tem atuado, no entanto, de forma remota com os países para apoiar a reabertura do turismo e a retomada do comércio. Com ONU News

PUBLICIDADE
Don`t copy text!