Reitora da UFRJ apresenta plano de ação nesta quinta

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Primeira mulher empossada na reitoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro(UFRJ) em 99 anos, a professora do Instituto de Biofísica da instituição, Denise Pires de Carvalho, convocou para esta quinta-feira (4) uma reunião extraordinária do primeiro Conselho Universitário. Na reunião, Denise apresentará as linhas gerais de um plano de ação a ser implementado em curto prazo na instituição.

O plano será iniciado com a Pró-Reitoria de Graduação, disse Denise à Agência Brasil. O objetivo é mostrar à comunidade as metas de planejamento para reduzir o nível de evasão e fortalecer o ensino a distância, associando parte deste ao presencial. “Um planejamento mais imediato será apresentado amanhã”, informou a reitora.

Denise estimou em 50% a evasão nos cursos de graduação da UFRJ, ou seja, “metade dos alunos que ingressam” na instituição.

Segundo a reitora, o índice de desistência varia de curso para curso. Ela pretende fazer um estudo dos últimos 10 anos para verificar o grau de evasão por curso, porque as causas são muito diferentes. “Uma vez identificadas as causas, vamos tentar diminuir esses índices. Sabemos que muitos estudantes saem no fim do curso. É diferente o estudante que para no primeiro ano do curso daquele que sai no último [ano]. Vamos abordar os diferentes problemas para tentar aumentar o número de concluintes.”

Segunda etapa

Em reunião posterior do Conselho Universitário ordinário, Denise pretende apresentar o planejamento para enfrentar problemas mais administrativos, que incluem orçamento e governança. “Para que toda a comunidade saiba os problemas relacionados ao orçamento, o que existe em termos de contas a pagar. Tudo isso será mostrado à comunidade acadêmica”, afirmou.

A reitora, que tomou posse na última terça-feira (2), disse que já está trabalhando na revisão do orçamento da universidade. Uma comissão será formada para analisar o orçamento com a Pró-Reitoria de Finanças. O objetivo é “publicizar” a questão orçamentária para que toda a comunidade acadêmica saiba quais são os gastos com luz e água e para que essas despesas sejam revistas e reduzidas.

No entanto, ela disse temer que, mesmo fazendo o “dever de casa”, se o corte anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) permanecer, a universidade tenha dificuldades para pagar a limpeza, a segurança e a conta de luz. O orçamento de custeio da UFRJ chega a R$ 360 milhões, e o contingenciamento previsto é em torno de R$ 114 milhões.

Denise, que tomou posse na última terça-feira em Brasília, receberá o cargo formalmente no próximo dia 8, às 10h, e vai liderar uma comunidade integrada por 67 mil estudantes de graduação, pós-graduação e ensino a distância, além de 4 mil docentes. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!