Fiscalização acaba com rodeio clandestino em São Paulo

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A Coordenadoria de Defesa Agropecuária, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo não poupou esforços no fim de semana passado, em uma ação noturna, juntamente com as Polícias Militar e Ambiental, encerrar com um rodeio clandestino no município de Cedral, na região do Escritório de Defesa Agropecuária (EDA) de São José do Rio Preto. O evento não possuía registro junto à Defesa Agropecuária e tampouco médico veterinário responsável técnico.

“Mais uma vez usando de serviços de inteligência e de assertividade, a equipe da Defesa se deslocou até este município limítrofe a São José do Rio Preto e lá se deparou com um cenário nada responsável nestes difíceis tempos de pandemia”, disse o médico veterinário da Secretaria, João Gustavo P. Loureiro, assistente de gabinete junto à Defesa Agropecuária. A Polícia Militar estimou em 120 pessoas aglomeradas em meio a uma ampla estrutura composta por currais, som profissional, iluminação, narradores, cantores e boiadas de rodeio. “Os bois ali presentes chegaram ao evento sem guia de trânsito animal. Os animais depois de inspecionados foram prontamente conduzidos aos caminhões que ali os trouxeram e encaminhados para as propriedades de origem”, disse Loureiro.

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo/Divulgação

O promotor do evento foi autuado e o valor da multa deve chegar a R$72.725,00. Os proprietários das duas boiadas presentes foram conscientizados da temeridade de seus atos ao conduzirem os animais para um evento de concentração animal clandestino e também autuados, cujos valores somados podem chegar a R$6.691,00. O evento foi imediatamente cancelado e a Polícia Militar dissipou a aglomeração.

“Mesmo com as restrições impostas pela pandemia da Covid-19, a equipe da Secretaria de Agricultura e Abastecimento que atua junto à Coordenadoria de Defesa Agropecuária segue desenvolvendo seu trabalho essencial e fundamental para garantir a sanidade dos produtos de origem animal e vegetal que chegam à mesa do consumidor, a proteção aos maus-tratos animais, à vigilância ativa com foco na sanidade dos rebanhos, dentre outros”, disse Luiz Henrique Barrochelo, coordenador do órgão.

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo/Divulgação

Também participaram da ação Alexandre Paloschi, diretor do EDA de São José do Rio Preto e o técnico Sérgio Albuquerque, do EDA de Catanduva. Com informações da Assessoria de Comunicação da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!