ONU condena sequestro de um de seus funcionários na Colômbia

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O sistema das Nações Unidas na Colômbia condenou nesta quinta-feira (4) o sequestro de um de seus funcionários no país por dissidentes das Farc, ocorrido ontem em um remoto vilarejo do departamento do Guaviare (sudeste) e exigiu sua liberdade imediata. As informações são da EFE.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O sequestro ocorreu justamente quando membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas visitam o país. Eles chegaram ontem à noite em Bogotá para manifestar seu apoio ao processo de paz entre o governo colombiano e as Farc.

A ONU indicou em um comunicado que condena os fatos ocorridos “que atentam contra a integridade e os direitos de um colega do Escritório das Nações Unidas contra as Drogas e o Crime (Unodc) e exige sua liberdade”.

O alto conselheiro presidencial para o pós-conflito da Colômbia, Rafael Pardo, confirmou o sequestro e disse que aparentemente o funcionário, de nome López, será libertado ainda nesta quinta-feira. “Hoje ao meio-dia ele será libertado. Foi sequestrado por uma dissidência das Farc que já anunciou que irão libertá-lo. Esta ação é absolutamente inaceitável”, disse Pardo a jornalistas.

O sequestro aconteceu em Barranquillita, um remoto vilarejo situado a duas horas de viagem do município de Miraflores (Guaviare), onde López estava trabalhando.

“Todos da família da ONU na Colômbia manifestam nossa solidariedade a nosso colega e sua família, cuja segurança e conforto são prioritários. Estamos trabalhando com as autoridades competentes para sua liberdade imediata e segura”, disse em comunicado as Nações Unidas.

O funcionário sequestrado, de acordo com o governo, “fazia parte de uma comissão liderada pelo prefeito de Miraflores, funcionários da Direção para a Atenção Integral da Luta contra as Drogas do Governo Nacional, membros de organizações sociais, conselhos de ação comunitária e funcionários da Onudc”. Eles estavam reunidos com cerca de 400 camponeses da região para socializar o Programa Nacional de Substituição de Cultivos de Uso Ilícito. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!