Iniciativa da OMS pretende evitar novos surtos de dengue, febre amarela e Zika

O nome pode parecer estranho: “arboviroses”, mas estamos falando sobre doenças bastante conhecidas pela população: dengue, febre amarela, Chikungunya e Zika. Essas enfermidades são uma ameaça fatal para 4 bilhões de pessoas em países tropicais e subtropicais, como o Brasil e Angola, por exemplo.

Para evitar uma nova pandemia, a Organização Mundial da Saúde, OMS, acaba de lançar um plano, que foca no combate às enfermidades causadas pela picada de mosquitos.

Resposta eficaz e coordenada
Segundo a agência da ONU, dengue, febre amarela, Chikungunya e Zika “representam uma grande ameaça de saúde nas zonas tropicais e subtropicais e os surtos estão aumentando pelo mundo.”

O especialista da OMS, Mike Ryan, declarou que o projeto “permitirá às autoridades de saúde de várias partes do mundo a combater ameaças amplas, porém relacionadas”.

O médico destaca haver uma necessidade urgente de reavaliar como as ferramentas de combate à transmissão podem ser utilizadas para garantir uma resposta eficaz, pessoal treinado e equipado e engajamento de comunidades.

Surtos são frequentes
O foco da Initiativa Global de Arboviroses é “concentrar recursos no monitoramento de risco, na prevenção de pandemias, na detecção e na resposta”, afirma a OMS.

A agência da ONU destaca que ação internacional é urgente, devido “à frequência e à magnitude de surtos” de arboviroses, em especial as que são transmitidas pelo mosquito Aedes.

A transmissão dessas doenças têm sido mais frequentes devido à mudança climática, crescimento populacional e aumento da urbanização.

Sintomas que podem levar à morte
Todos os anos, a dengue infecta 390 milhões de pessoas nos 130 países onde é endêmica, podendo causar febre hemorrágica e até morte.

Já a febre amarela causa alto risco de surtos em 40 países, causando icterícia, febre hemorrágica severa e até morte.

Segundo a OMS, a Chikungunya é menos conhecida, mas está presente em 115 países, causando artrite severa.

Por sua vez, o vírus da Zika ficou conhecido em 2016, quando uma epidemia causou deficiências em recém-nascidos e microencefalia, tendo sido detectada em 89 países.

A agência da ONU lembra que existe vacina para a febre amarela, mas não para as outras doenças. Por isso, a melhor maneira de se prevenir é se protegendo das picadas de mosquito. Com ONU News

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!