Teste utilizando técnica nuclear vai detectar COVID-19 em mais de 40 países

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, está enviando para mais de 40 países equipamento que usa tecnologia de energia nuclear para detectar rapidamente o novo coronavírus.

A assistência de emergência faz parte da resposta da Aiea a pedidos de apoio de cerca de 90 Estados-membros no controle de um número crescente de infecções em todo o mundo.

Resposta
Dezenas de laboratórios na África, Ásia, Europa, América Latina e Caribe receberão máquinas e kits de diagnóstico, reagentes e materiais de laboratório para acelerar os testes.

Também devem receber suprimentos de biossegurança, como equipamentos de proteção individual e gabinetes de laboratório para a análise segura das amostras.

Segundo a agência, um número crescente de países procura assistência e outras entregas são esperadas nas próximas semanas.

Em nota, o diretor-geral da Aiea, Rafael Mariano Grossi, disse que a agência “está trabalhando duro para garantir que este equipamento crítico seja entregue o mais rápido possível, onde for mais necessário.” Ele afirmou que “dar essa assistência aos países é uma prioridade absoluta para a agência.”

Orçamento
A Aiea está usando seus próprios recursos para esta assistência de emergência, bem como fundos extra. Até agora, os Estados-membros anunciaram mais de € 9,5 milhões em contribuições financeiras extra, incluindo US$ 6 milhões dos Estados Unidos, CAD$ 5 milhões do Canadá e €500 mil da Holanda.

A Austrália também deu uma contribuição importante. Além disso, a China anunciou doações de equipamentos de detecção, kits, reagentes e outros materiais médicos no valor de US$ 2 milhões e prestação de serviços especializados.

Grossi disse estar “muito grato” por essas “generosas contribuições.” Ele encorajou outros países e organizações a fazê-lo, para que a agência possa responder rapidamente às crescentes demandas.

Técnicas
O primeiro lote de suprimentos, no valor de cerca de €4 milhões, ajudará os países a usar a técnica mais sensível para detectar o vírus atualmente disponível, conhecida como RT-PCR em tempo real.

Nas últimas semanas, a Aiea, em colaboração com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, FAO, também forneceu orientações sobre a detecção de coronavírus a 124 profissionais de laboratório em 46 Estados-membros. Com ONU News

PUBLICIDADE
Don`t copy text!