Banco de dados disponibiliza dados geoespaciais do Projeto Carne Carbono Neutro

Cientistas da Embrapa disponibilizaram uma publicação gratuita que apresenta um tutorial para orientar o acesso aos 48 dados e metadados geoespaciais das Unidades de Referência Tecnológicas (URTs) do Projeto Carne Carbono Neutro (CCN), usando a ferramenta GeoNode. O GeoNode é uma plataforma livre que possibilita a catalogação, em formato vetorial ou raster, de dados geoespaciais, e podem ser combinados configurando um mapa.

O desenvolvimento da base de dados geoespaciais, além de atender aos objetivos de identificar as URTs, organizar o banco de dados geoespaciais das URTs (cada URT possui diferentes sistemas de produção – extensivos e de integração) e acesso e consulta aos dados geoespaciais disponíveis, também procurou exemplificar e fomentar a organização, o armazenamento, a preservação e o compartilhamento de dados espaciais de projetos de pesquisa da Embrapa, como preconizado pela Infraestrutura de Dados Espaciais da Embrapa (GeoInfo).

A pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente Sandra Nogueira, uma das autoras da publicação, explica que para entender a relevância da base de dados é importante entender os objetivos do Projeto CCN, que busca atestar, mediante um protocolo determinável e auditável, que a produção de carne bovina em sistemas de integração silvipastoril (pecuária-floresta, IPF) ou agrossilvipastoril (lavoura-pecuária-floresta, ILPF) proporcione a neutralização das emissões de metano entérico, melhor conforto térmico aos animais em pastejo, além de incorporar diretrizes para o adequado manejo da pastagem e para produção de carne de qualidade (Protocolo CCN).

Este protocolo está sendo validado em oito URTs, distribuídas em oito estados: URT Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande (MS); URT Fazenda Santa Maria, em Campos Lindos (TO); URT Fazenda Lagoa dos Currais, em Curvelo (MG); URT Fazenda Santa Lídia, em Diamante do Norte (PR); URT Fazenda Santa Brígida, em Ipameri (GO); URT Fazenda Mogiguaçu, em Paragominas (PA); URT Fazenda Boa Aguada, em Ribas do Rio Pardo (MS); URT Fazenda Canchim, em São Carlos (SP) e URT Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop (MT). As URTs possuem tamanho médio de 79,7 ha. As localizadas em Campos Lindos, Curvelo e Diamante do Norte possuem áreas superiores a 100 ha. As demais URTs possuem área inferior a 50 ha.

Sandra ressalta que as funcionalidades de controle de acesso permitem que informações organizadas no GeoNode sejam acessadas por diferentes usuários, tanto das instituições acadêmicas, como da iniciativa privada. Os usuários poderão ter uma visão geral sobre as possibilidades de composição de espécies de forragens e florestais em sistemas integrados, os espaçamentos utilizados para as espécies florestais, assim como outras informações de manejo animal e vegetal dos sistemas de produção.

Atualmente, os responsáveis técnicos pelas URTs estão finalizando os respectivos indicadores ambientais e de produtividade anuais. Assim que disponibilizados para a equipe da Embrapa Meio Ambiente, estas informações serão incorporadas ao banco de dados geoespaciais das URTs do Projeto CCN. Com informações da Embrapa

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!