Bolsonaro conhece rotina de segurança da Presidência durante visita ao GSI

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Ao visitar hoje (3) as instalações do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), acompanhado pelo titular da pasta, general Augusto Heleno, o presidente Jair Bolsonaro conheceu um simulador de tiro, usado para treinamento dos seguranças presidenciais. Ele analisou o armamento utilizado pela equipe de segurança da Presidência da República e assistiu à demonstração do comboio presidencial.

“O objetivo é que ele tomasse conhecimento de como funciona essa rotina de segurança que às vezes incomoda um pouco, a autoridade tem que se acostumar com esse serviço […]. A ideia foi mostrar que ele não precisa se preocupar, pelo grau de profissionalismo da segurança presidencial”, disse o general Heleno.

Bolsonaro agradeceu aos funcionários do GSI pelo trabalho. De acordo com Heleno, Bolsonaro percebeu o “espírito de corpo”, utilizando um jargão militar. Foi a primeira vez que um presidente da República fez uma visita formal ao GSI. O órgão funciona há cerca de oito anos em uma instalação ampla, a poucos metros do Palácio do Planalto.

O ministro afirmou que a segurança do presidente no dia a dia não será diferente do que era praticado com o ex-presidente Michel Temer. O general Heleno reiterou que, durante a posse, houve uma série de cuidados em virtude de suspeitas de possíveis atentados contra Bolsonaro.

No último dia 1º, para a cerimônia de posse, todos que foram assistir à solenidade na Esplanada dos Ministérios tiveram de passar por várias barreiras de revistas e houve a proibição de diversos objetos na Esplanada dos Ministérios.

Mudanças
O general Heleno afirmou que ainda não há uma data para o Bolsonaro e sua família mudarem da Granja do Torto para o Palácio da Alvorada. Segundo ele, alguns parentes do presidente que vieram para a posse estão hospedados na Granja do Torto. De acordo com o ministro, Bolsonaro deverá esperar seus parentes retornarem para, depois providenciar sua mudança para o Alvorada.

Depois de dois anos e meio vazio, o Alvorada terá um morador. O ex-presidente Michel Temer preferiu ficar no Palácio do Jaburu, residência oficial dos vice-presidentes da República. Ele chegou a ensaiar uma mudança para o Alvorada, mas sua família não se adaptou ao local. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE
Don`t copy text!