Nações Unidas querem mais conectividade digital e plataformas de aprendizagem para jovens

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Jovens de todo o mundo participaram ontem (1º) de uma discussão virtual que aborda o uso da conectividade digital e de plataformas de aprendizagem para criar maiores oportunidades.

O secretário-geral abriu o evento apontando brechas, fragilidades e desigualdades que existiam antes da crise, mas foram agravadas pela pandemia. Ele lembrou que os jovens formam quase metade da população global sem acesso à internet.

Crise
Para o chefe da ONU, a exclusão digital é ainda maior para as jovens. Segundo Guterres, a situação infantil e juvenil “é uma crise dentro da outra” durante a Covid-19.

Antes da crise, cerca de um quinto dos jovens não tinha emprego, educação ou treinamento. Com a pandemia, apenas um terço frequenta o ensino a distância.

Para Guterres, esse tipo de exclusão pode e deve ser revertido para alunos de famílias mais pobres, áreas remotas, mulheres e jovens.

Iniciativas
Para isso, ele acredita que a educação e a tecnologia digital estão entre os investimentos mais importantes a serem feitos na resposta e recuperação da pandemia e para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODSs.

O secretário-geral incentiva parcerias e lembra que os setores público, privado e da sociedade civil aliados a governos, empresas e agências da ONU se unem ao grupo para ampliar iniciativas e inovações, criando maior impacto.

ODSs
A uma década do prazo final da Agenda 2030, Guterres disse que não se deve perder tempo. Para o próximo ano, ele recomenda “fortalecer os vínculos entre os setores e reunir investimentos para a ambiciosa meta de conectar meio mundo às oportunidades.”

O secretário-geral pediu o investimento do setor privado e de fundações para um “financiamento catalítico” e que sejam lançadas as bases para essa mudança radical em nível nacional, onde jovens e parceiros estejam na liderança. Com ONU News

PUBLICIDADE
Don`t copy text!