Educação confirma início do ano escolar 2021 em MG com investimentos de R$ 350 milhões

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) apresentou, nesta terça-feira (2), as novidades para o ano letivo de 2021, que começa na próxima segunda-feira (8), ainda de forma remota, por meio do Regime de Estudo não Presencial. Em coletiva, também foram anunciados novos investimentos, ferramentas e estratégias pedagógicas aprimoradas, além da possibilidade do ensino híbrido nas escolas da rede pública estadual.

Serão investidos, ao todo, mais R$ 350 milhões na Educação no estado. Os recursos são divididos emr R$ 90 milhões de adicional de manutenção para pequenos reparos nas unidades escolares, R$ 170 milhões para alimentação escolar (foi duplicado o valor que normalmente é destinado pelo Governo de Minas para esta finalidade) e mais R$ 90 milhões para as unidades de ensino que serão reconhecidas com o Prêmio Escola Transformação pelo bom desempenho de gestão e aprendizado.

A secretária de Estado de Educação de Minas Gerais, Julia Sant’Anna, destacou que o novo ano traz melhorias importantes nas ferramentas desenvolvidas para o Regime de Estudo não Presencial e para o ensino híbrido.

“A certeza é de que esse esforço foi muito grande no ano passado, reconhecido nacionalmente, e é essa a gratidão que a gente tem a nossa rede. Ouvimos a comunidade escolar – e a consulta pública é uma sinalização de que estamos atentos aos anseios da rede”, disse.

Exemplo disso é o aplicativo Conexão Escola 2.0, que agora é uma interface do Google Sala de Aula, com mais funcionalidades e possibilidades de interação, uma das principais demandas dos professores. “O Google com navegação patrocinada é outro ponto que a gente precisa destacar de grande atenção, que precisávamos prover essa melhor condição aos professores”, salientou Julia.

A secretária também ressaltou a ampliação dos investimentos e os recursos adicionais que serão aplicados, como a duplicação dos valores destinados à merenda escolar.

Outro destaque é Prêmio Escola Transformação, que vai reconhecer 900 escolas pelo bom desempenho de gestão e ensino. O reconhecimento, inclusive, vai considerar a Avaliação Diagnóstica, participação dos professores no Google Sala de Aula e entrega dos Planos de Estudos Tutorados (PETs). As regras da premiação serão publicadas ainda em março/2021, no Diário Oficial do Estado.

Ano escolar
O ano escolar de 2021 começa nesta quarta-feira (3). Essa é a data em que a escola inicia as atividades com o corpo docente, gestores e administrativos, ainda sem a presença dos alunos. Já o começo do ano letivo, neste momento em formato remoto, será na próxima segunda-feira (8).

Na primeira semana – de 8 a 12 de março –, as escolas vão se dedicar às atividades de acolhimento dos alunos, ações desenvolvidas que promovem o estreitamento dos laços afetivos entre os estudantes e a escola, e a identidade deles com o espaço escolar. Além disso, é nessa semana que os alunos começam a conhecer e a se apropriar das ferramentas de estudo não presencial.

Ferramentas
No dia 15 de março, começarão a ser trabalhadas, efetivamente, as ferramentas do Regime de Estudo não Presencial. Nesse mesmo dia, os estudantes iniciam as atividades remotas com os Planos de Estudos Tutorados (PETs).

Para este ano, a novidade é que as apostilas com o conteúdo trabalhado passam a ser bimestrais. O esquema de distribuição segue o mesmo do ano passado, com os volumes do PET sendo disponibilizados gratuitamente através do aplicativo Conexão Escola 2.0 e site estudeemcasa.educacao.mg.gov.br. Já para os alunos sem acesso à internet, o PET será entregue, também gratuitamente, na versão impressa, por diretores e parcerias feitas com municípios. O PET segue sendo usado para contabilizar a carga horária dos alunos da rede estadual.

O aplicativo Conexão Escola 2.0 foi atualizado com a incorporação de inúmeras melhorias. Entre elas está a interface com a plataforma Google Sala de Aula, atendendo a pedidos de professores e alunos. Os professores serão orientados a estar on-line no Conexão Escola 2.0 no momento da sua aula, disponível para interagir com os alunos, postar atividades, transmitir aula por vídeo, entre outros. A navegação no aplicativo segue sendo patrocinada pelo Governo de Minas para professores e alunos da rede pública estadual. No aplicativo, também ficam concentrados os volumes do PET e as aulas do Se Liga na Educação.

Ainda no dia 15 de março, terão início as teleaulas do programa Se Liga na Educação, que será transmitido de segunda a sexta-feira pela Rede Minas, de 7h30 às 12h30, e reapresentado pela TV Assembleia. O conteúdo das aulas estará alinhado diretamente com o conteúdo do PET.

Consulta Pública
Para atualizar o Regime de Estudo não Presencial, a SEE/MG realizou uma Consulta Pública entre os dias 18 de dezembro de 2020 e 15 de janeiro de 2021, por meio de formulário eletrônico. Foram cerca de 70 mil contribuições recebidas que apontaram a aprovação das ferramentas desenvolvidas pela SEE para o Regime de Ensino não Presencial e das propostas do ensino híbrido a ser implementado.

As ferramentas do ensino remoto de Minas tiveram em média 90,5% de aprovação da comunidade escolar. O Se liga na Educação foi aprovado por 89,3% dos que participaram. O Plano de Estudo Tutorado (PET) teve uma taxa de concordância de 90% e o aplicativo Conexão Escola de 92,7%.

O modelo de ensino remoto implementado em Minas foi destaque no Brasil: está entre os três melhores estados no Índice de Educação a Distância, segundo estudo divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O Regime de Estudo não Presencial desenvolvido pela SEE/MG alcançou nota 5,83, bem acima da média nacional que ficou em 2,38. O levantamento considerou as ferramentas educacionais utilizadas durante o período da pandemia da covid-19, nos 27 estados e nas capitais. Minas se destacou por ter maior cobertura e pela agilidade na implementação do ensino remoto para os alunos da rede estadual.

Do público que respondeu à consulta pública, 44,2% são de estudantes, 28% de professores e 20,7% de familiares. Outros públicos somam 7,1%.

Avaliação Diagnóstica
Minas Gerais é o único estado do país que conseguiu avaliar de forma remota seus alunos e propor um plano individualizado, a partir dos resultados da Avaliação Diagnóstica, com o conteúdo que cada estudante deveria focar. Cada um recebeu um plano individual de estudos, com indicação de materiais de revisão e aprofundamento dos conteúdos. Além disso, a partir dos resultados verificados a SEE/MG tem conhecimento do que cada aluno da rede sabe e onde estão suas dificuldades, considerando todos os componentes curriculares.

Ao todo, a Avaliação Diagnóstica teve participação de 85,51% dos alunos do ensino médio, 51,6% dos alunos dos anos finais do ensino fundamental e 83,9% dos alunos dos anos iniciais do ensino fundamental. A partir dos resultados, foram elaboradas estratégias de reforço escolar para 2021, que irão ajudar os estudantes na consolidação dos conteúdos. Também estão sendo formatadas capacitações para que os professores estejam ainda mais preparados para trabalhar as habilidades com os alunos.

A avaliação, que não era obrigatória e não valia nota, ficou disponível pelo aplicativo Conexão Escola. Para os alunos que não tinham acesso à internet, as escolas disponibilizaram a Avaliação Diagnóstica impressa.

Reforço Escolar
A SEE/MG desenvolveu a estratégia voltada para estudantes que tiveram dificuldades em entregar o PET ao longo do ano letivo de 2020. As primeiras turmas serão formadas a partir dos resultados da avaliação diagnóstica e da devolução dos PETs no ano passado. A cada aplicação de avaliação em 2021 serão feitas novas análises para eventuais inclusões de novos estudantes e/ou encerramento da participação de outros que já tenham conseguido recuperar o aprendizado que estava em defasagem.

Além disso, será oferecido reforço aos alunos egressos do 3º ano do ensino médio. Aqueles estudantes que se sentiram prejudicados na aprendizagem dos conteúdos na conclusão dessa etapa de ensino no ano passado e tiverem interesse poderão participar do reforço escolar para fortalecer o desenvolvimento de competências e habilidades e se prepararem melhor para o mercado de trabalho e para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Também participaram da coletiva a subsecretaria de Desenvolvimento da Educação Básica, Geniana Faria, e o subsecretário de Articulação Educacional, Igor Icassatti. Com Agência Minas

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!