Começa curso introdutório para agente de segurança penitenciário em MG

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Cerca de quatro mil candidatos em 16 cidades participaram, nessa semana, da aula inaugural do curso introdutório do processo seletivo simplificado para cadastro de reserva do cargo de agente de segurança penitenciário. Em Belo Horizonte, o encontro foi realizado na Escola Estadual Professor Milton Campos e na Escola Estadual Santos Dumont e teve a presença de todos os selecionados das Risp 1 e 2. O processo está sendo organizado pelo Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IFBC) e ocorre normalmente dentro dos prazos legais.

Outras 15 cidades também realizaram a primeira aula, foram elas: Juiz de Fora, Uberaba, Lavras, Divinópolis, Governador Valadares, Uberlândia, Patos de Minas, Montes Claros, Ipatinga, Barbacena, Curvelo, Teófilo Otoni, Unaí, Pouso Alegre e Poços de Caldas. O secretário de Estado de Segurança Pública, general Mario Lúcio Araujo, esteve presente nas aulas por meio de um vídeo institucional de boas-vindas, onde falou da importância da capacitação para o exercício da profissão.

Um dos candidatos é Cristiano Henrique Anastácio, 28 anos, que nunca trabalhou no sistema prisional. “Minha expectativa é que eu possa me informar bem da situação e sobre o sistema. Nós vemos e sabemos de alguns problemas, mas eu sei muito pouco sobre o seu funcionamento. Espero sair daqui bem treinado para poder oferecer um serviço de qualidade”, disse.

O curso faz parte do processo seletivo e é essencial para a realização das atividades de um agente de segurança penitenciário. Por meio dele os candidatos vão adquirir conhecimentos para o desempenho das suas atribuições. A principal delas é garantir a ordem e a segurança no interior dos estabelecimentos prisionais, desempenhando ações de vigilância externa e interna das unidades.

As aulas vão abordar temas variados como relações interpessoais no trabalho; procedimentos de humanização do atendimento; técnicas com uso de tonfa; noções de Impo (Instrumento de Menor Potencial); uso diferenciado da força; biossegurança no trabalho prisional; rádio comunicação; diretrizes do Regulamento e Normas de Procedimentos do Sistema prisional de Minas Gerais (RenP) e demais normas vigentes, entre outros assuntos.

A agente de segurança penitenciária, Caroline Luz, foi convidada para lecionar as aulas de biossegurança, que aborda sobre cuidados para evitar contágios e transmissão de doenças. Segundo a profissional, a empolgação dos alunos foi algo perceptível neste primeiro dia: “Eles estão vendo isso como uma oportunidade e estão ansiosos para trabalhar. Eles se mostram bem interessados em aprender, o que é muito importante para formar profissionais capacitados para a atuação no sistema. Conseguir passar meus conhecimentos e vivências vai ser algo muito bom”, diz a professora.

Etapas
Foram 123 mil inscrições válidas. A primeira etapa foi constituída de prova e títulos. Depois foram realizadas as investigações sociais e selecionados quatro mil candidatos que estão fazendo o curso introdutório. A capacitação termina no dia 6 de fevereiro e, no dia 10, será aplicada uma prova objetiva de caráter classificatório e eliminatório. Os aprovados irão compor o cadastro de reservas da secretaria e serão chamados gradualmente de acordo com a necessidade. Com Agência Minas

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!