Operação no rio Paraopeba em São José da Varginha apreende materiais de pesca; quatro pessoas fugiram

Entre 1º de novembro e 28 de fevereiro é proibido pescar profissionalmente nos rios. Chamado de piracema, o fenômeno ocorre com diversas espécies de peixes ao redor do mundo, garantindo que o peixe complete seu ciclo de vida e dê continuidade à espécie. Quando o fenômeno é interrompido a reprodução fica prejudicada.

PMMA / Divulgação

Algumas espécies podem ser capturadas e há regras que todos devem seguir. Para garantir que a piracema ocorra sem problemas, 15 militares da Polícia Militar de Meio Ambiente em três viaturas e duas embarcações realizaram uma operação no fim de semana no Rio Paraopeba, em São José da Varginha.

PMMA / Divulgação

No local é proibido pescar profissionalmente até mesmo fora da piracema, afinal a água do rio está contaminada após rejeitos da barragem de Brumadinho contaminar todo o rio. A pesca amadora é permitida no local mas com restrições.

PMMA / Divulgação

A fiscalização também contou com a ajuda de um drone que antecipou abordagens e encontrou possíveis alvos, identificando os infratores.

PMMA / Divulgação

Segundo a Polícia Militar de Meio Ambiente, além da fiscalização nos rios, as lojas de pescados também receberão militares que irão averiguar se tudo está conforme a legislação. Os proprietários destes estabelecimentos precisarão apresentar uma declaração de estoque.

Na operação no Paraopeba, 35 redes de pesca, duas tarrafas e outros objetos de pesca foram apreendidos e quatro pessoas fugiram.

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!