São Paulo destinará leitos de UTI para outras doenças graves

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Com uma taxa de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) voltados para o tratamento de casos do novo coronavírus abaixo de 50% em todo o estado, o governo de São Paulo vai começar a redirecionar parte desses leitos para o tratamento de outras doenças graves ou para cirurgias eletivas. O anúncio foi feito ontem (30) pelo governador de São Paulo, João Doria.

“Com a taxa de ocupação de leitos de UTI em queda no estado, o governo de São Paulo começa a redirecionar leitos para o atendimento de outras doenças graves”, disse.

São Paulo está, há dez semanas consecutivas, registrando queda no número de novas internações por covid-19. A taxa de ocupação de leitos de UTI chegou a alcançar 95% durante o pico da doença no estado, mas está hoje em torno de 44%. Com a criação de novos leitos de UTI durante a pandemia, o estado soma atualmente mais de 8,2 mil leitos só de UTI.

Segundo o governo, o redirecionamento de leitos será feito de forma gradual e regionalizada, mantendo uma quantidade de leitos e de equipamentos disponibilizados para o novo coronavírus, em caso de aumento inesperado de casos.

Balanço
Segundo balanço divulgado hoje pela Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo, o estado tem, desde o início da pandemia, 985.628 casos confirmados do novo coronavírus, com 35.622 óbitos. Há 3.965 pessoas internadas em estado grave em todo o estado em casos suspeitos ou confirmados do novo coronavírus, além de 5.051 pessoas internadas em enfermarias. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE
Don`t copy text!