CPI continua apurando rompimento de barragem da Vale em Brumadinho

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Barragem de Brumadinho realiza duas reuniões nesta semana para aprofundar as investigações sobre o rompimento da Barragem B1 da Mina do Córrego do Feijão, da Vale, ocorrida em Brumadinho (RMBH), no dia 25 de janeiro. Deputados esperam confrontar depoimentos de diretores e de funcionários da área operacional.

Na segunda (1º), às 14h30, no Plenarinho IV, deputados recebem, na condição de testemunhas convocadas, Tércio Andrade Costa, operador do radar interferométrico da barragem, e Tales Bianchi, gerente de planejamento da Vale.

De acordo com informações da CPI, Tércio operava o radar de controle da barragem e vinha registrando medições consideradas anormais. Ele teria enviado e-mails sobre o assunto a outros funcionários e mantinha o registro das medições em um computador.

O equipamento, no entanto, foi confiscado por Tales Bianchi após o rompimento da barragem e encontrado depois, em sua casa, pela Polícia Federal.

Diretores
Já na quinta-feira (4), a CPI recebe, na condição de investigados, Lúcio Cavalle e Silmar Silva, diretores da Vale. Eles coordenam gerências de geotecnia, sendo uma operacional e outra corporativa. As duas áreas, segundo a CPI, estão empurrado uma para a outra as responsabilidades pela tragédia. A reunião será às 9h30, no Plenarinho IV.

As audiências foram solicitadas pelos deputados Gustavo Valadares (PSDB), presidente da comissão; Sargento Rodrigues (PTB), vice-presidente; Noraldino Júnior (PSC) e André Quintão (PT). O requerimento para a reunião de quinta-feira foi assinado também pelo deputado Glaycon Franco (PV). Com ALMG

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!