Informações sobre áreas em risco de desastre podem ser acessadas na internet

Dados sobre monitoramento de risco e prevenção de desastres em todo território nacional podem ser acessados por meio de ferramentas disponibilizadas pelo Governo Federal. O acesso é livre para gestores municipais, estaduais, federais, cidadãos e acadêmicos.

A Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM – Serviço Geológico do Brasil) lançou o Mapa On-line, um sistema de busca que permite visualizar áreas com risco de desastre. É possível localizar informações sobre áreas com “alto” e “muito alto” risco de deslizamentos de terra, inundações, enxurradas e queda de rochas em mais de 1.600 municípios brasileiros.

O sistema pode filtrar e cruzar dados sobre os produtos cartográficos produzidos pela CPRM, podendo obter informações sobre risco geológico, suscetibilidade e perigo. Também podem ser visualizados o tipo e classe do processo identificado pelos pesquisadores, a data do mapeamento, nome do projeto, sugestão de intervenção, quantidade de setorizações e quantidade de pessoas em risco.

Mapa On-line pode ser acessado no portal do Serviço Geológico.

Barragens
A Agência Nacional de Mineração liberou a versão pública do sistema que gere as informações sobre barragens de mineração.

Sistema Integrado de Gestão de Barragens de Mineração (SIGBM) está disponível aos cidadãos para acompanhar em tempo real como está a situação das barragens do país. O sistema disponibiliza informações como categoria de risco, altura, volume e método construtivo da barragem e dano potencial. São centenas de dados sobre todas as 816 barragens de mineração brasileiras que passam a ser monitorados pelos cidadãos.

A versão pública permite que o cidadão veja dados abertos da barragem, como nome e CNPJ da empresa, estado e município em que se localiza, tipo de rejeito armazenado, estado de conservação, se ela está inserida no Plano Nacional de Segurança de Barragem (PNSB) ou se tem Plano de Ação Emergencial (PAE). É possível ainda fazer comparações entre barragens por regiões, estados ou municípios, gerar gráficos, tabelas e estatísticas e até ver uma imagem da barragem. O sistema também avisa quando uma barragem aumenta o nível de emergência, exigindo e acionando ações preventivas e até mesmo intervenções. Com informações do Ministério de Minas e Energia

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!